Biblioteca de Obras Raras Átila Almeida

Obra do mês de Julho: “Registro fotográfico histórico da construção do Parque do Povo, 1986”

4 de julho de 2018

Ainda contagiados com a atmosfera alegre e simbólica de uma das maiores festividades de nossa região, o São João, a Obra do Mês de Julho é um registro fotográfico histórico da construção do Parque do Povo, pertencente ao acervo do Diário da Borborema e salvaguardado pela Biblioteca de Obras Raras de Átila Almeida.
Festejado desde a década de 1930, o São João de Campina Grande ganhou espaço e proporcionalidade compatíveis ao slogan de “Maior São João do Mundo” em 1983, quando recebeu esse título pelo gestor municipal Ronaldo Cunha Lima. Esta data marca sua primeira edição quando ainda ocorria em um palhoção no espaço antes denominado de “Coqueiros de Zé Rodrigues”, hoje de Parque do Povo.


Símbolo da cultura nordestina, o Maior São João do Mundo conquistou destaque nacional e internacional no calendário de eventos culturais e tem uma importância que vai além de uma festa junina, com muitos aspectos socioeconômicos e históricos que contribuíram para o desenvolvimento, expansão e reconhecimento de Campina Grande. Esses elementos têm figurado entre os pontos de interesse de sociólogos, historiadores, antropólogos, geógrafos e demais pesquisadores que buscam compreender as transformações do evento e seus reflexos para sua sociedade.

A fotografia é parte da exposição “O fotojornalismo e o Maior São João do Mundo”, promovida pela Biblioteca de Obras Raras de Átila de Almeida. A imagem escolhida é de fevereiro de 1986 e representa um dos momentos mais importantes da história do São João de Campina Grande que foi a construção de um espaço onde ocorreriam as edições posteriores do evento e que se tornou símbolo da grandiosidade da festa. Conhecida popularmente como pirâmide, o espaço foi projetado dentro do Parque do Povo pelo arquiteto Carlos Alberto de Almeida, na gestão do então prefeito Ronaldo Cunha Lima no ano de 1987.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Além do registro da pirâmide, a exposição possui 45 fotografias sobre o São João de Campina Grande, contemplando o período compreendido desde a construção do Parque do Povo em 1986 até o final da década de 1990.
Outros momentos simbólicos e históricos podem ser conferidos na Exposição, como a construção do Forródromo, o concurso de quadrilhas, a tradicional corrida de jegue, a cidade cenográfica, entre outros registros que corroboram para a construção da memória sobre o Maior São João do Mundo.
A exposição foi inaugurada no último 21 de junho e estará aberta ao público até o dia 21 de Setembro. A Biblioteca Átila Almeida funciona de segunda a sexta, das 7 as 17hrs e se encontra no primeiro andar do prédio administrativo da Universidade Estadual da Paraíba.