Biblioteca de Obras Raras Átila Almeida

Direção da Biblioteca Átila Almeida celebra reconhecimento da Literatura de Cordel como patrimônio cultural

28 de setembro de 2018

Os admiradores do cordel, em especial todos os que fazem parte ou usufruem dos serviços da Biblioteca de Obras Raras Átila Almeida, instalada no Câmpus I da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), estão comemorando uma conquista recente, registrada pelo Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Na última quarta-feira (19) a Literatura de Cordel foi reconhecida oficialmente como Patrimônio Cultural Brasileiro.

Identificada originalmente como uma expressão da cultura nordestina, com o passar do tempo a Literatura de Cordel tomou proporções nacionais e até mundiais, sendo estudada por pesquisadores em diversos países. Na UEPB, mais de 18 mil cordéis compõem o acervo da Biblioteca Átila Almeida, o que o posiciona como o maior acervo de cordéis da América Latina, catalogado, higienizado, preservado e disponibilizado para consulta, presencialmente ou através do site http://bibliotecaatilaalmeida.uepb.edu.br/.

Para Camile Andrade, vice-coordenadora do Sistema Integrado de Bibliotecas (SIB), o trabalho de conservação e disseminação dos cordéis é considerado extremamente importante não apenas para a UEPB, mas principalmente para a preservação da cultura e para o registro da história. “A Literatura de Cordel teve início no século XIX como alvo de preconceito e desvalorização, mas hoje vemos o quanto é relevante que seja registrada sua história, já que traz muito dos problemas sociais vivenciados pela população ao longo dos anos. Há cada vez mais pessoas focando seus trabalhos de pós-graduação na temática dos cordéis e cresce a cada dia o interesse da população por esse tipo de literatura”, destacou.

A expectativa, segundo Camile, é que com o reconhecimento do cordel como patrimônio cultural brasileiro seja garantida uma maior valorização e preservação da cultura popular, além da criação de políticas públicas neste sentido. Demonstrando preocupação com o material raro, variado e de qualidade (alguns cordéis da Átila Almeida têm mais de 100 anos), a Biblioteca Átila Almeida vem desenvolvendo um sistema, em parceira com a Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) da UEPB, com o objetivo de disponibilizar os cordéis em formato digital, através da internet, para todos que tiverem interesse em consultá-los.

Atualmente, as consultas ao acervo de cordéis da Biblioteca Átila Almeida estão em pleno crescimento, recebendo pesquisadores, leitores interessados e até familiares de cordelistas já falecidos. Através do site institucional é possível realizar o agendamento das visitas para consulta do material no local, que ocorrerá sempre com a mediação de servidor da Instituição. Outras informações podem ser obtidas através do telefone (83) 3315-3424 ou pelo Instagran, no usuário @bibliotecaatilaalmeida.

Texto: Giuliana Rodrigues