Biblioteca de Obras Raras Átila Almeida

Filha de Átila Almeida visita Biblioteca de Obras Raras da UEPB e realiza pesquisa em obra familiar

15 de agosto de 2018

Uma das mais importantes bases de consulta de conteúdo para pesquisas em livros, periódicos e jornais, a Biblioteca de Obras Raras Átila Almeida da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) recebeu sexta-feira (10), a visita a pesquisadora Oriana Almeida. Até então, fato nada mais que corriqueiro do local que diariamente recebe dezenas de pesquisadores de todo o Brasil. Contudo, Oriana é filha do professor, jornalista, folclorista e pesquisador que foi escolhido para dar nome ao espaço que oferece aos estudiosos uma singular opção para aqueles que desejam desenvolver pesquisas acadêmicas.

Mesmo tendo visitado o local em outras oportunidades, Oriana Almeida não escondeu a satisfação e orgulho em retornar ao local e ver o trabalho que continua sendo feito por bibliotecários e assistentes da UEPB. Segundo ela, o pai sempre se preocupou em doar seus livros, seja de autores paraibanos ou de cordéis, para outras pessoas. “Meu pai falava lá atrás que o folheto de cordel estava acabando, sumindo, principalmente pelo advento do rádio e da televisão que começava a entrar na casa das pessoas. Ele tinha essa preocupação em preservar essa parte da nossa cultura”, disse.

Ao chegar à biblioteca, Oriana confessou ter se surpreendido por ver móveis que faziam parte do convívio dela na casa de seus pais. “Quando cheguei aqui e vi a cabeceira de livros, eu pensei: ‘esta é a cabeceira do meu pai’. Vi um sofá também. Então tudo isso faz com que eu rememore aquela época”, acrescentou a pesquisadora que, na oportunidade desta visita, deu andamento na revisão e edição da dissertação de mestrado de sua mãe, que também faz parte do acervo da biblioteca.

Além desta atividade, Oriana tomou conhecimento do trabalho que vem sendo feito de digitalização de todo o acervo de cordéis pertencentes à biblioteca. Boa parte desse material integrava o conjunto de obras pessoais de Átila Almeida. “Temos pouco mais de 18.200 cordéis, sendo que mais de 9.300 deles fazem parte do acervo pessoal de Átila, que nós recebemos em doação. Oriana ficou muito contente em saber que nosso trabalho não é apenas de conversação do conteúdo, mas sim de poder oferecer a oportunidade de consulta e estudos para ainda mais pessoas, uma vez que todo esse conteúdo ficará disponível em nosso site”, explicou Diana Santos, bibliotecária da UEPB.

Além de visitar a biblioteca e dar continuidade a uma pesquisa, Oriana Almeida ainda participou da gravação de um filme documentário sobre a biobibliografia de Átila Almeida, que está sendo produzido e realizado pela Coordenadoria de Comunicação (CODECOM) da UEPB. O jornalista Hipólito Lucena, coordenador de Comunicação da UEPB e responsável pelo projeto, ressaltou ser de grande importância o registro da vida e da obra de um dos principais intelectuais da história da Paraíba.

Curiosidades

Você sabia que a Biblioteca de Obras Raras Átila Almeida também possui em seu acervo obras de Raymundo Asfora, Gilmar de Carvalho, Manoel Monteiro e Severino Bezerra de Carvalho? O local, instalado no primeiro andar do prédio da Administração Central da UEPB, no Câmpus de Bodocongó, possui títulos literários, folhetos, leis, projetos, relatórios, decretos e estatutos, principalmente os relativos à Paraíba. Sobre Literatura da Cordel, a biblioteca possui uma das maiores coleções de cultura popular da América Latina.

Também fazem parte do acervo jornais que foram publicados em várias cidades da Paraíba entre os anos de 1848 e 2003. Também está sob a guarda da biblioteca o acervo do jornal impresso Diário da Borborema. O local também conta com almanaques, boletins, anuários, anais, informativos, guias, catálogos, edições raras de revistas paraibanas e nacionais, além de importantes revistas científicas já fora de produção.

Texto e fotos: Givaldo Cavalcanti