Biblioteca de Obras Raras Átila Almeida

Museu de Arte Popular da Paraíba renova exposições e sedia 4ª Mostra de Artes do Centro Artístico Cultural

17 de dezembro de 2015

No próximo domingo (20) será realizada no Museu de Arte Popular da Paraíba (MAPP) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) a 4ª Mostra de Artes Mostra de Artes do Centro Artístico Cultural, promovido pela Pró-Reitoria de Cultura (Procult) da Instituição. O evento acontecerá a partir das 17h30 e contará com apresentações de Acordeon, Sanfona de Oito Baixos, Canto Coral, Violão e Percussão Regional.  A atividade resulta de mais um período das oficinas de arte oferecidas gratuitamente à comunidade acadêmica e à sociedade em geral.

Na ocasião, serão apresentadas ao público as alterações nas exposições permanentes do museu composto de três áreas, com ênfase em música, artesanato e literatura de cordel. Com exceção do espaço para o cordel, as demais exposições se mantinham desde a abertura para visitação pública, que ocorreu em junho de 2014.

No chamado “Pandeiro da música”, que até então expunha material relativo à vida e obra de Jackson do Pandeiro, passará a ser exposto vasto material sobre a cantora Marinês. Serão expostas informações, objetos pessoais, além da discografia completa da Rainha do Xaxado. O público continuará, porém, tendo acesso à discografia de Jackson, que permanecerá nos computadores disponíveis para os visitantes.

Na área da literatura de cordel, a exposição homenageará o cordelista Leandro Gomes de Barros, por ocasião dos 150 anos de nascimento do escritor paraibano. Os folhetos da mostra fazem parte do acervo da Biblioteca Átila Almeida, da UEPB. São mais de 80 cordéis, dentre os quais exemplares raros.

E o “Pandeiro do Artesanato” também apresentará mudança em sua exposição permanente. Passarão a ser expostos trabalhos em cerâmica, confeccionados por artesãos da Serra do Talhado, peças em barro preto, de Sapé, e cerâmica decorativa de Cajazeiras, além de trabalhos de Lucinha dos Bichos e de artefatos e peças oriundas da feira popular de Campina Grande.

Texto: Astier Basílio / UEPB